19 de novembro de 2010

Barba Negra salva editoras na RioComicon

Arnaldo Branco no lançamento do seu "Mundinho Animal"
As editoras cagaram e andaram para a RioComicon. Nada diferente do que já fazem com os quadrinhos. As poucas editoras que publicam HQs e livros especializados deixam os desenhistas e roteiristas como crianças perdidas em supermercado, depois de lançar a obra do artista, simplesmente o abandona.
Na RioComicon, nem a Panini, que detém os direitos de publicação da Marvel Comics e da DC Comics, esteve por lá todos os dias, e nos dias em que esteve vendeu assinaturas e não levou revistas, uma pena. Pelo menos uma editora salvou a pátria: a Barba Negra.
A Barba Negra, que iniciou as suas atividades esse ano já lançou: Era Quase Tudo Verdade que reúne histórias de Allan Sieber publicadas nas revistas Sexy e Trip; e Ordinário, de Rafael Sica que coletou as tiras que o gaúcho publica em seu blog. O Relatório Ota do Sexo, do cartunista Ota (ex-editor da revista Mad brasileira); Mundinho Animal, do cartunista Arnaldo Branco (Capitão Presença) foram lançados durante a RioComicon. Os dois estiveram por lá dando autógrafos, entrevistas e participando de debates.
A Barba Negra foi criada em 2010, numa parceria entre o roteirista Sandro Lobo e o designer gráfico Christiano Menezes. Lobo foi editor da revista Mosh! Só Quadrinhos Roquenrou e da editora Desiderata, onde lançou autores como Rafael Grampá, André Dahmer, Fabio Lyra, Allan Sieber entre outros. Christiano é um dos principais designers do meio editorial começou como ilustrador e designer de capas  para os principais artista nacionais como Tom Jobim, Elis Regina, O Rappa, entre outros.

2 comentários :

Bruno Resende Ramos disse...

Parabéns pelo engajamento no ramo editorial.

Cassio Peixoto disse...

Valeu Bruno, é pouco, mas devagar vamos tentando mudar ou chamar a atenção para algumas coisas