18 de novembro de 2010

Agora sim... RioComicon

Kevin O'Neil, de "A Liga Extraordinária"
Logo de pois da formidável palestra dos quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá na 6ª Bienal do Livro de Campos, no dia seguinte piquei a mula para o Rio de Janeiro para participar da RioComicon. O resultado não poderia ter sido melhor. Respirei quadrinhos por toda a semana e tive encontros memoráveis.
Para começar fiquei muito tempo fuçando o stand mais foda do evento! O "FODA" onde estavam presentes, Gustavo Duarte ("TAXI" e ""), Rafa Coutinho ("Cachalote"), Rafael Grampá ("Mesmo Delivery") e Danilo Beyruth ("Bando de Dois").
Perdi horas no stand da Livraria da Travessa, gastei mais de 100 reais em livros, revistas e etc... (sem contar os livros e revistas que comprei para a minha mulher), e perdi muito tempo na fila para conseguir um autógrafo de Kevin O'Neil na novíssima revista/livro: A Liga Extraordinária: Século 1910. Vale ressaltar que o tempo na fila foi recompensado pelo rascunho do Capitão Nemo, desenhado na hora por O,Neil, na contracapa do livro.
Ok, o bate papo com Moon, Bá e Rafa Cotinho, a conversa enrolada com meu inglês vagabundo com Kevin O'Neil já valeriam a pena e já pagaram a passagem. Não bastasse ainda fotografei a Mlinda Gibbs, esposa de Alan Moore, e ainda estive cvom o Reinaldo, do Casseta e Planeta; Ota, o ex-MAD; e ainda uma pá de artistas que eu jamais imaginaria ver. Se foi bom? Sim! Foi ótimo.
Mas, melhor do que isso é ver que os quadrinhos estão começando a amdurecer, e melhor ainda é saber que editoras (essas um pouco menos), artistas, promotores e produtores, estão vendo os quadrinhos não só como entretenimento inútil ou cultura pop fútil. Há vida inteligente nos quadrinhos. cabeças pensantes, obras magníficas, e tudo isso bem aqui! Pertinho! Às vezes não está ao alcance de nossas mãos, mas está a um clique de distância. A valorização de artistas nacionais, a quantidade de histórias e novas revistas lançadas mostra que estamos sim no topo do mundo. E não só por que os melhores desenhistas da Marvel e DC Comics são brasileiros, mas porque acordamos para artistas que antes viviam no underground, que vendiam suas HQs quase como se pedissem um favor. Hoje, felizmente isso acabou.
Rafa Coutinho, Fábio Moon e Gabriel Bá
Depois de um evento como a RioComicon, mesmo com todas as coisas que poderia ter feito melhor - e estou certo de que fará em 2011 -, é muito bom poder levantar a bandeira dos quadrinhos, poder bater no peito e dizer: "eu leio quadrinhos, amo quadrinhos e foda-se o resto".
Um post, apenas um post, não dá para colocar todas as impressões da RioComicon, portanto, aguardem mais comentários e fotos da RioComicon aqui no mucufo de sempre.

1 comentários :

PRMoSA disse...

"Meu dia de tiete" XD Pena que já teve e ñ pude ir...