19 de outubro de 2010

Quadrinista - Parte 1

Minhas primeiras publicações como quadrinista - ou algo muito parecido - aconteceram em 2001. Com pouco tempo, poucas boas ideias e um monte de trabalho para fazer, convenci o editor do jornal onde eu trabalhava como diagramador e designer gráfico a publicar tirinhas de artistas de Campos, entre eles, eu, é claro.
Ainda era um estudante de Direito insatisfeito e trabalhava no jornal para pagar as minhas contas. Sonhava apenas em escrever críticas musicais para revista Bizz e escrever as histórias da Liga da Justiça. Sobre música consegui escrever, mas as histórias da Liga da Justiça ainda estão bem distantes. As tirinhas surgiram no primeiro semestre de 2001. De tanto encher o saco do meu editor consegui permissão para publicar as minhas tiras e a de outros três amigos. Funcionou bem por um tempo, eu só me esqueci de um detalhe primoroso: criar uma boa tirinha ou um bom personagem, e isso eu não tinha. Foi meio que num rompante que nasceu "O Herói". Um misto de Superman e Overman, que usava mullets (e essa era a melhor coisa do personagem) e que falava sozinho e tentava interagir com os leitores. Os roteiros eram inspirados no humor de Sérgio Aragonés, e confesso, eram muito fracos. Os traços eram infantilóides, como acho que são até hoje, e o roteiro muito, mas muito pouco inspirado. A redação gostou, meus colegas gostaram e fez um relativo sucesso na cidade.
O problema é que eu não tinha tempo para pensar em uma boa tirinha, e em alguns momentos escrevia e desenhava as tiras em dez minutos, quando não fazia em cinco. Como resultado, algumas tirinhas eram ótimas, outras muito ruins, e a maioria me deixa envergonhado até hoje. Mas mesmo assim o Herói sobreviveu por uns dois anos ou mais. Antes disso minha experiência com publicação se resumiu a desenhos e histórias nas páginas de uma coluna infantil em um jornal de 1979, ou 78... sei lá.
Quando comecei a fazer jornalismo e passei a escrever matérias, apurar e às vezes editar textos, a dificuldade para desenhar as tirinhas aumentou ainda mais. O Herói acabou sendo sepultado de vez. Trabalhei com outros personagens que criei e coloquei na tirinha do Herói entre 2001 e o início de 2003, até que deixei definitivamente de publicar os personagens. Nunca deixei de escrever ou desenhar, mas publicar que é bom... nunca mais.

2 comentários :

PRMoSA disse...

E eu, que queria ser ginecologista das estrelas? =\

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Faz uma tirinha para eu colocar no meu blog. Mas pega leve, hein. rsrs! ^^ ~~ !!