10 de abril de 2011

Quando os heróis vão ao banheiro

Wolverine e Noturno num bate-papo típico de mictório público
Quando defendia minha tese na faculdade, bem como o meu projeto final sobre quadrinhos, a banca formada por catedráticos, jornalistas, mestres, doutores e professores tentou de todas as formas desqualificar a minha teoria. Defendia que os quadrinhos eram um meio de comunicação tão útil quanto qualquer outro, uma mídia tão importante quanto jornais e revistas. No fim da apresentação, durante a bateria de perguntas, um deles lançou a pérola: se os "seus" super-heróis, apesar de apresentarem poderes fantásticos, estão tão perto da realidade quando é que eles vão ao banheiro?
Eu já esperava por isso, assim como esperava por dezenas de perguntas imbecis, do tipo: "os heróis não envelhecem?" ou ainda "os heróis não se casam?" entre outras pérolas que vocês não iam querer ouvir. O que importa é que respondi a todas as perguntas e consegui passar com uma boa nota.
Mas foi exatamente abordando essas questões que passei a admirar o trabalho de Keith Giffen com a Liga da Justiça e com a Legião dos Super-Heróis. Nessas duas séries da DC Comics, - que inclusive citei como exemplo na defesa da minha tese - o desenhista mostrou que os heróis, apesar de serem super, têm problemas e necessidades comuns a todos os mortais da Terra. Alguns engordam, outros tinham problemas com a família, com o cartão de crédito, com a empregada, com a libido e todos os problemas que, geralmente, as sagas intergalácticas e as lutas que ocupam três ou quatro páginas não conseguem mostrar.
Pois bem, os heróis vão ao banheiro sim! Quando eles vão? Certamente não interrompem uma luta para ir ao banheiro enquanto o vilão aguarda pacientemente. A mesma pergunta poderia se aplicar aos policiais ou aos bombeiros quando estão trocando tiros com traficantes ou salvando crianças de um incêndio. Ninguém pára para tirar água do joelho no meio da ação, e isso também não vira manchete de jornal.
Portanto, quando a Poderosa estiver de mau humor, de repente ela pode estar "naqueles dias", mas isso você não vai ver no intervalo das bordoadas que a loira distribui.

1 comentários :

PRMoSA disse...

Já vi a Poderosa num desses momentos de "gente como a gente", numa pesquisa no Google Imagem. Tava hilário. Mas ñ sei pq isso me lembra o caminho inverso, como em TheDarkKnight o Bruce tá menos taciturno q de costume e fazendo piadinhas, no estilo "gente como a gente", e q me desagradaram de certa forma.
PS: Belo template, só acho q agora sim o verde poderia entrar no lugar desse azul tosco.