11 de dezembro de 2010

Barbarella... ai ai...

Barbarella é um série de história em quadrinhos para adultos, criada em 1962 pelo ilustrador e escritor francês Jean-Claude Forest. A personagem Barbarella é uma aventureira espacial do século XL, com tendências ninfomaníacas que usa o corpo e a sexualidade para conquistar e derrotar os seus oponentes. Barbarella escandalizou a França na época de seu lançamento e chegou a ser proibida por lá. Aos poucos, entretanto, conquistou o país e a partir daí espalhou-se pela Europa e pelo mundo, tornando-se uma espécie de ícone do movimento feminista dos anos 60. Levada às telas de cinema pelo director Roger Vadim em 1968, Barbarella virou um filme cult extremamente popular e transformou a atriz norte-americana Jane Fonda, que a interpretou, no símbolo sexual da época.
Para se ter um ideia do quão avançado para a época era a história de Barbarella, o roteiro tratava de um humano residente em outro planeta que a apresenta a uma nova modalidade de intercurso sexual; a sedução de um anjo cego; e uma máquina do sexo destinada a matar de prazer aos que nela são colocados. Interessante não? E olha que estava longe de ser um filme pornográfico.
Pois bem, não é de hoje que todo mundo ouve e espera por um remake do filme de 1968 - um remake decente - ou um novo filme sobre a heroína. Parece que estamos com sorte. Os rumores sobre o longa estão de volta e quem encabeça a lista das atrizes cotadas para o papel é Anne Hathaway. Bom... se você já leu Barbarella, ou viu o filme de 68... dá pra imaginar Miss Hathaway na pele da heroína futurista... se o filme vai ser bom? Se o roteiro vai ser legal? Espero, mas se não for a gente dá uma olhada assim mesmo...
Na ordem três momentos da Barbarella: no alto, lé em cima, a moça em quadrinhos; ao lado a Barbarella na pele de Jane Fonda, em 1968; e no final Anne Hathaway, a moça que pode vestir (ou tirar) o uniforme da Buck Rogers de saia. Ok! Eu tinha fotos mais comportadas, eu confesso...

1 comentários :

PRMoSA disse...

As mais comportadas não dariam dimensão das "possibilidades" da Anne. *.* Ô grórias!!!