19 de agosto de 2011

Minhas últimas observações sobre o filme do Lanterna Verde

Lanterna Verde finalmente estreou no Brasil. O meu conselho é: não dê ouvidos às críticas e assista. O filme tem bons e maus momentos, mas no fim é divertitdo. Mas, tinha que ter um "mas". Desde que o filme estreou nos EUA centenas de críticos especializados, de sites e de babacas que torcem contra a DC Comics e são apaixonados pala Marvel Comics pegaram o Lanterna "pra Cristo". O esporte mais praticado nos fóruns era bater no Lanterna Verde. Alguns estão certos, outros exageraram bastante.
Vi o filme hoje, acabo de chagar do cinema. Já tinha visto quase tudo na tela do meu computador, mas não é a mesma coisa. Hoje vi duas sessões, uma em 3D e outra normal. O filme tem seus méritos e a franquia ainda tem salvação.
É fácil descobrir o que não funcionou no Lanterna Verde do cinema: roteiro, história, protagonistas e direção. É quase um filme inteiro, mas repito, mesmo com todos os pequenos problemas vale a pena sair de casa e pagar alguns reais para ver Lanterna Verde no cinema.
Em primeiro lugar o casal protagonista não funciona na tela. Ryan Reynolds convence como Lanterna Verde, mas é nas cenas em que ele tira a máscara que as suas já conhecidas deficiências aparecem. Já o seu "par romântico" a forte e expressiva Carol Ferris, caiu no colo da inexpressiva e fraca (muito fraca) Blake Lively. A moça parece ter saído de um episódio da Malhação, e não se parece em nada com a personagem. Deve ter um empresário muito bom.
O roteiro comete o mesmo erro que um monte de filmes de super-heróis que naufragaram recentemente. Uma urgência e uma necessidade de colocar em menos de duas horas a história de 20 anos do personagem nos quadrinhos. Não dá pra agradar aos fãs e ainda assim agradar os que ainda não conhecem o personagem. Existe sim um jeito de fazer isso, mas infelizmente Lanterna Verde não tinha um diretor capaz dessa proeza. A história que misturou dezenas de trechos desencontrados dos quadrinhos parece coerente para quem não conhece a fundo o personagem, mas para quem conhece... Martin Campbell não fez um bom serviço, e eu lamento muito por isso. Clichês óbvios, diálogos sofríveis e cenas que seriam melhores se fossem dirigidas pelo Daniel Filho ou pelo Dênis Carvalho. A velha mania de Hollywood de espremer a cronologia do personagem em duas horas.
Outro ponto importante foi a escolha do vilão. Parallax seria a escolha óbvia, mas Hector Hammond... pelamordeDeus... é certo que a galeria dos vilões do Lanterna Verde/Hal Jordan não é lá essas coisas, mas seria possível dar uma vasculhada na cronologia do herói e até de outros Lanternas que seria bem melhor que Hector. Embora a escolha do vilão tenha sido ruim, o ator Peter Sarsgaard deu ao papel uma vida que nem os roteiristas de quadrinhos conseguiram. O ator se saiu bem, apesar de representar um personagem... digamos... fraco.
Mas o filme teve seus méritos. Os efeitos especiais, e personagens como Sinestro, Kilowog e Tomar-Re salvam o filme. Os dois últimos protagonizaram as melhores cenas em Oa. O treinamento de Hal Jordan com Kilowog, por exemplo, foi muito legal. De lá saiu uma das frases que jamais vou esquecer.
No mais, Lanterna Verde é divertido. Um filme para quem gosta de super-heróis e para quem sempre sonhou em ver o Gladiador Esmeralda na tela.
Esqueça as resenhas que surgirão falando mal do filme. Apesar de todas as coisas qu apontei não me canso de repetir: vale a pena sair de casa, comer pipoca, beber uma Pepsi e ver o filme em 3D, se não der pra ser em 3D, veja de qualquer jeito, mas veja!

2 comentários :

Elizio Victor disse...

O Lanterna Verde é um dos meus heróis favoritos. Qual o fã que resiste a tentação de ao menos sussurrar o juramento junto com o herói? Não me guio pela crítica para assistir a filmes, desprezo quem faz isso.

Rui Moura disse...

Companheiro botafoguense, tomei a liberdade de publicar no meu blog o seu magnífico texto sobre a chegada de Cortês ao Botafogo, ilustrando a convocação de que o nosso atleta foi alvo. Espero não ter abusado, mas o seu texto era premonitório...

mundobotafogo.blogspot.com

Abraços Gloriosos!