16 de julho de 2015

Eu invejo os sorrisos no Facebook

Sabe os casais felizes do Facebook? Já viu aquelas declarações de amor no Instagram? As indiretas românticas no Twitter? Pois é, eu os invejo. A cada sorriso, a cada verso, a cada frase de efeito, eu os invejo mais. O pessoal que posta fotos com sorrisos, flores na cabeça, chocolates, presentes, mimos, felicidade... pois bem, eu os invejo com todas as minhas forças.
Não que eu deseje que toda essa felicidade se esvaneça, muito pelo contrário, desejo que ela perdure, cresça, apareça e me corroa ainda mais de inveja. Porque não desejo mal, só desejo o que eles têm, o que conseguiram sabe Deus como, seguindo sabe-se lá qual fórmula. Não quero lhes tomar a felicidade, apenas que me digam como eu posso ter uma igual.
Não se sabe como e nem porque as paixões, agudas ou não, acontecem. E nem porque determinadas pessoas passam pelas nossas vidas. Parece ser uma lógica perversa, ou um paradoxo inacreditável que você se apaixone por alguém apenas para provar para você mesmo que Romeu e Julieta estavam certos e era melhor morrer do que se apaixonar.
Parece ser doentio que a paixão, ou o amor, sejam um curto caminho para a dor e o sofrimento. Não! Não meus amigos! Não pode ser assim! Mas por muitas vezes é. E não se trata de uma escolha errada, mas sim de como você trabalhou depois que fez essas escolhas. Descobrir o que faltou, o que sobrou, pode ser a chave dessa tal felicidade. Porque diabos então você se apaixonaria? Porque se deixaria levar?
Mas eis que meus amigos inundam o coração de esperança, ou de inveja. Todos os dias você vê o amor brotar pelas vidas, pelas ruas, becos, páginas e perfis na internet. Então, para cada coração despedaçado você tem mais dez corações apaixonados que esfregam no seu nariz o quanto são felizes, e por conseguinte, lembram o quão azarado você é. Mas se eles podem, é claro, você também pode! Não se torture. Essa fórmula mágica, no entanto, ninguém conta. Deve ser um segredo tão bem guardado quanto a fórmula da Coca Cola.
Mas há que se manter a esperança, e principalmente, lutar pelo que se quer. Estou convencido de que essa tal felicidade e essa vida a dois, quase perfeita, existe. Eu não insisto, mas persisto nessa busca. Não há garantias, não há lógica, mas há esperança. Minto descaradamente quando digo que quero que tudo se dane. Mentira. Não quero que tudo se dane. A verdade é que eu queria estar ali. Ser mais um ator nesse processo. Só não conheço o caminho, nem sei como pegar a mão da minha amada e levar até lá.
Todo mundo quer a sorte de um amor tranquilo, e nem estou aí se vai ter sabor de fruta mordida. Qualquer sabor que me faça sorrir sem abrir os olhos está valendo. Mas existe um medo que paira como uma nuvem, que por vezes provoca uma tempestade que me leva a fazer tudo errado. Uma sucessão de erros que me afasta dessa felicidade. Não são as escolhas que nos fazem errar. Porque se houver 1% de amor, as coisas funcionam, já que na maioria dos relacionamentos, essa equação equivale a 00,1% e mesmo assim há sobrevida e fotos felizes.
Persisto, mantenho a fé, sigo evitando gente feliz para não invejar ainda mais seus sorrisos. Escolho, no entanto, a minha amada imortal e por ela dobro os sinos da Catedral. Porque há muito amor espalhado por aí, é só pegar o seu quinhão e levar pra ela. Não desistir de quem se ama, de quem se gosta, e não tratar isso como uma loteria, é o primeiro passo para provar para você mesmo que a persistência pode te levar ao sucesso. Não é um jogo, não é uma conta exata, você só precisa atingir os nervos certos. O amor não é só uma reação química, mas se preferir entender dessa forma, misture os ingredientes certos e sua amada estará ao seu lado sorrindo nas postagens em pouco tempo. Mantenha a fé (repita essa frase para você mesmo no espelho se ela lhe parecer muito absurda dita de outra forma), uma vez apaixonado, não desista, e nem deixe que desistam por você.

Apenas acredite. Você não faz/fez nada errado, só precisa provar para você, para ela (se você já souber quem é ela) e para todo mundo que os ingredientes certos podem te levar para onde jamais esteve, ou para onde nunca deveria ter saído, se é que você já esteve lá.

2 comentários :

walnize carvalho disse...

Texto primoroso! Fiquei com inveja pela bela escrita...
Abraços,
Walnize Carvalho

Eliédima disse...

Lindo texto, e concordo contigo querido amigo, um dia também estarei lá