11 de janeiro de 2014

O Homem-Quadrado em um mundo perfeito

Pois bem amiguinhos e criaturas abomináveis, tirei a poeira do blog para colocar mais um projeto no ar. Dei o start nesse projeto no final de 2013 e consegui colocar ele no ar agora.
Então vamos lá. Já tentei fazer tirinhas diversas vezes, mas nunca encontrava um estilo para escrever e um desenho que ficasse realmente legal. Tentei fazer muitos estilos diferentes e nenhum ficou bom. Para ser bem sincero, todos ficaram uma bosta. Então no início de 2013 descobri alguns artistas fantásticos, e outros que estavam na minha frente o tempo todo e eu não me dava conta disso.
Antes de começar a falar especificamente das novas tirinhas (sim, é um projeto de tirinhas), é bom falar que já publiquei algumas em 2001 no jornal O Diário. Escrevi tirinhas entre 2001 e 2003 sobre um personagem que se chamava O Herói, mas o acabamento e a produção dessas tirinhas eram sofríveis, e embora tenham feito sucesso na época, não poderia repetir o personagem ou escrever/desenhar da mesma forma. Tentei alguns anos depois escrever tirinhas de humor, e foi um fiasco. Depois tentei tirinhas de contestação, e outras surreais, seguindo a linha da MAD, por exemplo. Também ficaram muito ruins.
Comecei a pensar em um estilo que eu não saberia se daria certo, e comecei a pesquisar. Foi então que eu conheci o Liniers, o cartunista argentino que tem um trabalho fodástico! Me identifiquei de cara com ele e comecei a ler Macanudo religiosamente. Logo depois descobri artistas como o Vi-Venes, do Brasil, e um coletivo de quadrinhos que encontrei no Facebook chamado The Flying Cow Fever, entre outros. E é claro, esbarrei na minha estante com o Calvin e Harold. Foi o que bastou para eu entender que as tirinhas que eu tinha em mente poderiam dar certo. Com dedicação e zelo, poderiam funcionar. Faltava então o bendito personagem.
Então, em um belo dia tive um estalo (foi na hora do banho ou enquanto eu lavava roupa, foi em uma dessas duas ocasiões, aliás sempre acontece em uma dessas duas ocasiões) e me lembrei de um personagem da minha infância, que na verdade foi criado pelo meu irmão ainda bem pequeno. Resolvi reformular e dar vida a esse personagem novamente. Nasceu (ou renasceu) então o Homem-Quadrado.
O Quadrado (esse foi o nome que meu irmão deu pra ele aos nove anos) é o personagem que eu precisava para falar de coisas como: a aceitação do diferente, preconceito, amor, ódio, intolerância, filosofia e etc. Na verdade, ele é o instrumento perfeito para poder falar de algumas coisas de forma lúdica e com bom humor.
Espero sinceramente que gostem das tirinhas, e se tudo der certo, se elas realmente forem bem aceitas, farei uma página no Facebook para postá-las diariamente. Quem quiser também poderá encontrar o Homem-Quadrado diariamente nas páginas do jornal O Diário, em Campos dos Goytacazes, apenas na versão impressa. No meu perfil no Facebook vou postar diariamente, e pensarei na possibilidade de uma página, com o tempo. Também colocarei diariamente no blog e no tumblr. (Na verdade acho que no tumblr é mais garantido).
Então, espero que curtam esse trabalho. Estou debruçado sobre ele desde novembro de 2013 e acho que finalmente está razoável. E para quem costuma apoiar minhas empreitadas, agradeço se apoiar mais essa.
Lembrando que a versão definitiva de Estado Permanente de Tristeza Profunda já está em produção e em alguns dias vai para o Catarse para tentar o financiamento coletivo, contarei com o joinha de todo mundo novamente.

0 comentários :